Bairro novo

Há dois meses mudamos de casa. Vida nova em casa nova e bairro novo. Até eu absorver um pouco  a essência desse lugar demorará um pouco, algo natural. Mas até eu ir me encaixando nos modos e manias desse novo bairro e das pessoas que por aqui moram, primeiro vou me deixando levar pela estranheza.

A primeira que salta aos olhos é a quantidade de salões de beleza que existe por metro quadrado no bairro. Na rua que dá acesso ao nosso prédio há dois, e um ao lado do outro.  Na rua do prédio da avó do João há mais três. Nas ruas paralelas mais três. Arrisco dizer que em todo o bairro exista talvez de 20 a 25 salões de beleza.

Em contraste, há apenas três bancas de jornal nesse mesmo amontado de ruas.

Os cínicos dirão que a preocupação com o que vai em cima da cabeça é maior do que com o que vai dentro. Um economista dirá que esse número é apenas o resultado do subemprego galopante no subúrbio.

Ao menos Platão, aquele mesmo, o filósofo grego,  estaria  ao lado de quem freqüenta os salões: para ele todo homem (e mulher) deveria aspirar ser digno e, principalmente, ser belo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s